Em 21 de fevereiro, o Plenário da Câmara aprovou o Projeto de Lei nº 1.775/2015, que institui o Registro Civil Nacional. O Registro integrará informações dos principais documentos utilizados pelos brasileiros, como CPF, RG e Título de Eleitor. Com isso, todos os documentos do cidadão poderão ser substituídos por um único com chip. De acordo com o governo, o projeto, desenvolvido em parceria com Tribunal Superior Eleitoral (TSE), vai facilitar a vida das pessoas assegurando mais agilidade e facilidade no acesso aos serviços públicos, além de promover a segurança pública e reduzir gastos públicos. Originalmente, o projeto previa a criação de um novo número de identificação, mas os deputados alteraram o texto de forma a manter a inscrição no CPF como número principal. Ainda, foi incluída a previsão de implementação gradual do novo documento, mitigando o custo de quase R$5 bilhões de reais estimado pelo governo. Agora, se aprovado pelo Senado nos moldes em que foi encaminhado pela Câmara, a implementação do novo documento se dará à medida em que os antigos perderem validade.