Os projetos de lei de origem no Senado, PLS nº 86/2017 e PLS nº 345/2017, foram aprovados na Casa durante a semana passada. Ambos instituem o voto distrital misto nas eleições proporcionais, sistema que combina os votos proporcional e distrital. De acordo com os projetos, o eleitor terá duas escolhas no momento do voto: o candidato de seu distrito e o partido de sua preferência. Apurados os votos, inicialmente as cadeiras serão ocupadas pelos candidatos eleitos com base no voto distrital e as cadeiras remanescentes serão divididas entre os partidos políticos que obtiverem maior quantidade de votos. Essa forma de eleição seria aplicada nas eleições proporcionais, logo, somente na escolha de vereadores e de deputados estaduais, distritais e federais. Os projetos foram encaminhados para apreciação da Câmara dos Deputados. Vale observar que, ainda que essas proposições sejam convertidas em lei, tais regras não poderão ser aplicadas nas eleições de 2018.