Há muitas discussões, nos âmbitos administrativo e judicial, envolvendo atrasos de grandes hidrelétricas em construção no país. Recentemente, a Justiça Federal de dois Estados concedeu liminares a duas concessionárias reconhecendo os atrasos como excludentes de responsabilidade. As concessionárias afirmam que os atrasos nas obras são decorrentes da demora nas emissões de licenças ambientais e das declarações de utilidade pública para uso das áreas afetadas pelo projeto, de greves nos órgãos licenciadores e de liminares judiciais que suspenderam a execução das obras por dias.