Na última terça-feira, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado se reuniu para apresentação do relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) ao PL nº 38/2017, que versa sobre a Reforma Trabalhista. Entretanto, no momento em que se daria a leitura do relatório, alguns senadores de oposição procuraram impedi-la, o que gerou uma confusão entre eles, alguns senadores da base governista e até mesmo manifestantes que acompanhavam a sessão. Em razão disso, o relatório apresentado, favorável à aprovação do PL, não foi lido. A CAE, mesmo assim, o considerou lido e o presidente da Comissão, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), declarou que o projeto deve ser votado amanhã. A oposição não reconhece a leitura.

Para evitar que o PL retorne à Câmara dos Deputados, o relator optou por não alterar o texto lá aprovado, rejeitando todas as emendas apresentadas no Senado. Curiosamente, em alguns trechos, o relatório sugere que o presidente da República vete o dispositivo ou que regulamente o assunto em questão por meio de MP.

Caso seja aprovado, o projeto ainda será analisado pelas Comissões de Assuntos Sociais e de Constituição, Justiça e Cidadania antes de ser apreciado pelo Plenário.